Em agosto de 2018, o Itaú Unibanco se tornou o primeiro banco brasileiro a aderir ao Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+, que formaliza e torna público os compromissos do grupo no respeito e promoção dos direitos de lésbicas, gays, travestis e transexuais.

Juntamente com esse novo marco na história da empresa, foi lançado o Edital LGBT+ Orgulho, por meio do Prosas e em parceria com a consultoria Mais Diversidade, para selecionar projetos de caráter cultural, educacional, esportivo ou social, que contemplem o respeito e a valorização da diversidade LGBT+ em todo o país.

Apesar de ser o primeiro ano do edital, foram mais de 300 inscrições recebidas de todo o Brasil. Quatro projetos serão selecionados, para um aporte total de R$ 200.000.

Para contar como foi essa iniciativa inédita de investimento social do Itaú Unibanco, convidamos Guilherme Cipullo, responsável pelo projeto na área de Relações Governamentais e Institucionais, para uma entrevista.

Prosas: Quais os objetivos principais do Itaú com esse edital?

Guilherme Cipullo: O objetivo do edital foi estimular o poder de transformação das pessoas LGBT+ no Brasil. O formato do edital permitiu que buscássemos tanto projetos já em andamento quanto pessoas ou grupos com boas ideias, que precisam de auxílio para se estruturarem enquanto Pessoas Jurídicas aptas para receberem patrocínio.

Prosas: No edital foram selecionadas propostas que contemplam o respeito e valorização da diversidade LGBT+. Na visão do Itaú, qual a importância de apoiar esses projetos?

Guilherme Cipullo: A causa LGBT+ tem especial relevância no Brasil – país que mais mata pessoas LGBT no mundo (segundo relatório 2017- 2018 da Anistia Internacional). Acreditamos que fortalecer projetos na sociedade civil tem a capacidade de promover visibilidade a esse público, atendendo demandas que o setor privado não consegue impactar de forma direta. Além disso, esse apoio em parceria com uma consultoria especializada em diversidade e inclusão garante a legitimidade necessária para que os projetos selecionados sejam aqueles com maior potencial de transformação.

Prosas: Quais foram os maiores desafios na construção de um edital que trabalha com esse tipo de causa?

Guilherme Cipullo: Os desafios concentraram-se na dificuldade em garantir o maior impacto possível na escolha dos projetos, uma vez que a gama de contrapartidas sociais precisa ser ampla o suficiente para abarcarmos diversas atuações, mas restrita o suficiente para não desvirtuar nosso objetivo principal, que é o estímulo ao poder de transformação das pessoas LGBT+ no Brasil.

ProsasPor se tratar de uma comunidade muito grande e ativa, quais eram as expectativas do Itaú em relação ao impacto do edital LGBT+Orgulho?

Guilherme Cipullo: Estávamos na expectativa de receber entre 100 e 150 inscrições, mas preocupados com a possibilidade de uma excessiva concentração de projetos no eixo Rio-São Paulo, onde há historicamente maior infraestrutura e apoio.

Prosas: As expectativas foram alcançadas? De modo geral, como você avalia essa experiência?

Guilherme Cipullo – Alcançamos e superamos bastante as expectativas! Conseguimos atingir a marca de 300 propostas inscritas, com uma surpreendente diversidade regional e de perfis, tanto do ponto de vista de representatividade LGBT+ como dos outros recortes de diversidade: racial, de gênero e pessoas com deficiência.

Prosas: Qual o perfil dos projetos selecionados pelo edital?

Guilherme Cipullo: Ainda não anunciamos os 4 selecionados, mas podemos antecipar que tivemos dificuldades devido à alta qualidade dos projetos inscritos. Mesmo com os critérios bem definidos, ficamos surpresos com a maturidade e potencial de impacto das ideias e propostas que analisamos. Entre os 10 finalistas, conseguimos grande representatividade regional e de caráter interseccional.

Prosas: Como foi a experiência de utilizar o Prosas para lançar o edital? Em quais aspectos a plataforma auxiliou durante o processo de seleção?

Guilherme Cipullo: Atribuímos grande parte do sucesso na quantidade de inscrições ao Prosas, que se mostrou uma plataforma simples para os proponentes e eficiente para nosso acompanhamento. As poucas dúvidas que surgiram foram com relação ao Edital em si, raríssimas vezes com o uso da plataforma. A possibilidade de exportar as propostas a qualquer momento e os bons relatórios permitiram que a seleção fosse acontecendo conforme as inscrições aconteciam.

BannerBaixo_Patrocinadores (1)