Tempo de Leitura: 4 minutos

Transparência e democracia são palavras e práticas muito valorizadas nos mais diversos contextos, sejam eles empresariais ou governamentais, nacionais ou internacionais.

Quando falamos de processos seletivos, nos quais diversos candidatos – sejam eles pessoas ou organizações – pleiteiam uma mesma vaga ou recurso, esses valores tão estimados são colocados em prática por meio da realização de EDITAIS.

Os editais são chamadas públicas em que as regras e o funcionamento de um determinado processo seletivo são explicados, além dos critérios pelos quais os melhores candidatos serão escolhidos. Isso é aplicável em diversas situações como em concursos públicos que buscam selecionar o candidato mais apto para assumir uma função no governo ou para a escolha do melhor fornecedor para prestar um determinado serviço.

Neste artigo, vamos falar da aplicação dos editais em um contexto específico, que são os processos de seleção de organizações e pessoas físicas na área social e na indústria criativa.

Historicamente, o Terceiro Setor no Brasil e no mundo é amplamente financiado por organizações empresariais e governamentais. Nesse contexto, a utilização de editais é um procedimento recorrente e que, em tempos de transparência e democracia, tem sido vista como uma boa prática.

Mas, então, o que você vai aprender com esse artigo?

– Elementos mais comuns de um edital para as áreas social e da indústria criativa

– O cenário dos editais aplicados no Brasil nos últimos anos

– Dicas para organizações e pessoas que captam recursos por meio de editais

– Tendências e oportunidades para o uso de editais

Elementos mais comuns de editais para as áreas social e da indústria criativa

Os aportes de recursos (financeiros, humanos, materiais etc.) para atividades e organizações que promovem o bem-estar e a cultura para a sociedade são bastante comuns na esfera governamental e tem sido cada vez mais adotados na área empresarial. Isso acontece tanto no Brasil quanto a nível global, onde esses tipos de prática são comumente classificados pela palavra inglesa grants.

Tradicionalmente, os editais estão alicerçados em um regulamento, no qual os principais aspectos do processo de seleção estão expostos. O regulamento é, também, um importante ativo de comunicação da política ou práticas sociais de quem o está realizando, servindo   para fins reputacionais e, principalmente, como um guia para que um candidato entenda que tipo de proposta aquele edital busca.

Apresentamos abaixo as 10 seções mais comuns que compõem o regulamento de um edital:

1. Apresentação da organização financiadora e dos objetivos da realização dos editais

Aqui deve constar quem está realizando o edital, qual o seu histórico de investimento social e em que contexto o edital está inserido. Isso já pode ajudar o candidato a entender quem está repassando os recursos e que tipo de ação já é financiada por ele.

Nessa seção, também devem ser expostas as razões pelas quais aquela chamada pública de seleção de projetos está sendo lançada, bem como se esclarecer, de forma resumida, que tipo de proposta se deseja receber.

 2. Natureza dos recursos que serão destinados aos selecionados

Aqui estamos falando desde o tipo de recurso que será repassado (financeiro, material, humano, etc.), até qual o montante total disponível e valor limite por projeto (em caso de repasse de recursos financeiros).

Exemplos: uma verba de R$ 200 mil para financiar organizações sem fins lucrativos que atuem com Saúde; uma empresa de tecnologia oferecendo oficinas de capacitação em Programação e Infraestrutura para entidades que trabalham com jovens em comunidades carentes.

3. Natureza dos candidatos que serão selecionados

Nesta seção, é necessário especificar se são pessoas físicas, quais são suas características e aptidões, ou pessoas jurídicas, e nesse caso, se com fins lucrativos ou sem.

4. Prazo para submissão da assinatura e envio dos projetos

Se necessário, em alguns casos, pode ser acrescentado um horário limite para o envio das propostas. Recomenda-se que esse prazo se encerre em horário comercial.

5. Forma de envio das propostas pelos interessados

Aqui queremos dizer se os candidatos devem enviar alguma documentação por Correios, se vão encaminhar algum documento para um endereço de e-mail ou submeter suas propostas em plataformas eletrônicas específicas, como o Prosas.

Está gostando do material exclusivo que preparamos? Que ótimo, pois ele não acaba aqui! Continue lendo sobre os elementos mais comuns em um edital, o cenário dos editais no Brasil nos últimos anos e as tendências e novidades da área. Faça o download gratuito do Guia Completo Sobre Editais.

guia completo sobre editais